compositor, pianista, teórico musical

Command disabled: diff


A formalização e abstração de propriedades psicoacústicas paradigmáticas dos aglomerados de sons de altura definida como embasamento teórico para uma nova disciplina da Harmonia

Pesquisa realizada na Universidade Estadual de Maringá-PR, Brasil, de 2014 a 2019

Este projeto de pesquisa, desenvolvido entre 2014 e 2019 na Universidade Estadual de Maringá-PR, Brasil, com financiamento da Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná na forma de uma bolsa de Produtividade em Pesquisa de dois anos (2014-2016), visou construir um embasamento teórico para uma nova disciplina da Harmonia Musical por meio da formalização e da abstração teórica de propriedades psicoacústicas dos aglomerados de sons de altura definida, e efetuou a investigação e definição de conceitos paradigmáticos psicoacústicos deste tipo de sons, sua qualificação e quantificação matemática, e a enumeração e estudo qualitativo e taxonômico de um Universo Harmônico definido pelos estudos. A pesquisa incluiu a implementação computacional das modelagens quantitativas matemáticas desenvolvidas, criando componentes de softwares do tipo 'Computer-Assisted Composition' que visem a rápida identificação taxonômica de uma combinação harmônica e o levantamento de suas propriedades e inter-relacionamentos comparativos. Como resultados esperados diretos da pesquisa estão o desenvolvimento e formalização de um corpo teórico mais apropriado para o aprendizado da Harmonia Musical de uma maneira aparelhada e afinada com as preocupações musicais e estéticas do século XXI e de um mundo globalizado, e a viabilização da criação de softwares que poderão servir de auxílio ao trabalho de pesquisa de novas linguagens harmônicas realizado por compositores contemporâneos, a estes servindo de referencial teórico básico. A metodologia para esta pesquisa inclui três metas: 1) definição e formalização quantitativa matemática de conceitos psicoacústicos arquetípicos, incluindo a revisão bibliográfica de trabalhos teóricos antigos e contemporâneos sobre o assunto estudado, incluindo o trabalho de pesquisadores modernos da psicoacústica; 2) definição de um Universo Harmônico e seu estudo taxonômico; e 3) formalização final das pesquisas, incluindo a elaboração de peças de software e de artigos científicos.

Objetivos

  1. Investigar e definir conceitos paradigmáticos psicoacústicos arquetípicos passíveis de serem utilizados como embasamento para processos de mistura horizontal e vertical de sons de altura definida;
  2. Qualificar estes conceitos psicoacústicos arquetípicos e efetuar a pesquisa, escolha e formalização de um método de quantificação destes conceitos segundo métodos de modelagem matemáticos;
  3. Efetuar a enumeração e estudo qualitativo e taxonômico de um número de combinações harmônicas paradigmáticas, a partir da formalização dos conceitos básicos psicoacústicos estudados;
  4. Implementar computacionalmente os métodos matemáticos desenvolvidos de modelagem dos conceitos paradigmáticos musicais estudados, criando possíveis componentes de softwares do tipo “Computer-Assisted Composition” que visem a rápida identificação taxonômica de uma combinação harmônica e o levantamento de suas propriedades e inter-relacionamentos comparativos com outras combinações.


Bibliografia

BARBOUR, J. M.. Tuning and Temperament: A Historical Survey. East Lansing: Michigan State College Press, 1951.
BITTENCOURT, Marcus Alessi. Sketches for the foundations of a contemporary experimental treatise on Harmony. In: Anais do II Encontro Internacional de Teoria e Análise Musical. São Paulo: UNESP-USP-UNICAMP, 2011.
BLACKBURN, Bonnie J..On Compositional Process in the Fifteenth Century. Journal of the American Musicological Society. Los Angeles: University of California Press, Vol. 40, No. 2. (Summer), pp. 210-284, 1987.
COSTÈRE, Edmond. Lois et Styles des Harmonies Musicales. Paris: Presses Universitaires de France, 1954.
FORTE, Allen. The Structure of Atonal Music. New Haven: Yale University Press, 1973.
HELMHOLTZ, H. L. F.. On the Sensations of Tone as a Physiological Basis for the Theory of Music. Translated by A. J. Ellis. 2nd edition. New York: Dover Publications, Inc., 1954 [1885].
HINDEMITH, Paul. The Craft of Musical Composition, Book 1: Theoretical Part. Associated Music Publishers, Inc., 1945.
HURON, D.. Tone and Voice: A Derivation of the Rules of Voice-Leading from Perceptual Principles. Music Perception. Los Angeles: University of California Press, Fall, Vol. 19, No. 1, pp. 1-64, 2001.
HUTCHINSON, W. and KNOPOFF, L.. The Acoustic Component of Western Consonance. Interface-Journal of New Music Research. Amsterdam: Routledge, Vol. 7, No. 1, pp. 1-29, 1978.
KAMEOKA, A. & KURIYAGAWA, M.. “Consonance theory, part I: Consonance of dyads.” Journal of the Acoustical Society of America. Vol. 45, No. 6, pp. 1451–1459, 1969.
KAMEOKA, A. & KURIYAGAWA, M.. “Consonance theory, part II: Consonance of complex tones and its computation method.” Journal of the Acoustical Society of America. Vol. 45, No. 6, pp. 1460–1469, 1969.
LEVY, Ernst. A Theory of Harmony. Albany: State University of New York Press, 1985.
MOORE, B. C. J.; PETERS, R. W.; GLASBERG, B. R.. Thresholds for the detection of inharmonicity in complex tones. Journal of The Acoustical Society of America. Melville: Acoustical Society of America, vol. 77, pp. 1861-1867, 1985.
OETTINGEN, Arthur von.. Harmoniesystem in Dualer Entwicklung. Leipzig: W. Glaser, 1866.
PARNCUTT. R.. Revision of Terhardt's Psychoacoustical Model of the Root(s) of a Musical Chord. Music Perception. Los Angeles: University of California Press, Vol. 6, No. 1 (Fall), pp. 65-93, 1988.
PARNCUTT. R.. Harmony: A Psychoacoustical Approach. Springer-Verlag, 1989.
PARNCUTT. R.. A model of the perceptual root(s) of a chord accounting for voicing and prevailing tonality. In: LEMAN, M. (Ed.). Music, Gestalt, and computing: Studies in cognitive and systematic musicology. Berlin: Springer-Verlag, 1997, pp. 181-199.
PARNCUTT. R.. Tonal implications of harmonic and melodic Tn-types. In T. Klouche & T. Noll (Eds.), Mathematics and computing in music (pp. 124-139). Berlin: Springer-Verlag, 2009.
PLOMP, R.; LEVELT, W. J. M.. “Tonal Consonance and Critical Bandwidth.” Journal of the Acoustical Society of America. Melville: Acoustical Society of America, Vol. 38, pp. 548-560, 1965.
RAHN, J.. Basic Atonal Theory. New York: Schirmer Books, 1980.
RIEMANN, Hugo. Harmony Simplified ; or, The theory of the tonal functions of chords. London: Augener & Co., 1903 [1893].
SETHARES, W. A.. Tuning, Timbre, Spectrum, Scale. London: Springer-Verlag, 1998.
VASSILAKIS, P. N.. Perceptual and Physical Properties of Amplitude Fluctuation and their Musical Significance. Doctoral Dissertation. Los Angeles: University of California, Los Angeles; Systematic Musicology, 2001.
ZARLINO, Gioseffo. Le Istitutioni Harmoniche. New York: Broude Brothers, 1965 [1571].
ZWICKER, E.. Subdivision of the audible frequency range into critical bands (frequenzgruppen). The Journal of the Acoustical Society of America 33 (2), p. 248, 1961.


(viewed 970 times)
© Copyright 2019 by Marcus Alessi Bittencourt. All rights reserved.
Warning: Unauthorized reproduction or commercial use of all contents of this site is prohibited by Law and subject to criminal prosecution.